Categoria: Cultura

Por Cuca
5 outubro, 2018

O voto de cabresto digital e a eleição menos racional da história


“Uma mentira repetida mil vezes, torna-se verdade”. Nem Joseph Goebbels, imaginaria o que a Internet seria capaz de fazer. Que as mentiras, ou melhor, fake news, compartilhadas pelo Whatsapp e replicadas no Facebook, dividiriam um país entre o bem e o mal e criariam um “mito”.
Não há meio termo digital. Não é permitido! Ou melhor, dizem que não é “útil”.
Em terra de mentiras e compartilhamentos, já não é mais útil, pensar com a própria cabeça, escolher o próprio voto ou ser fiel as próprias convicções.
Confesso, demorei para tomar pé dessas eleições. O que eu lia,aqui e acolá, fazia tão pouco sentido, que parecia piada. De mau gosto.
Mas não eram piadas, eram estratégias. leia mais

Por Cuca
20 setembro, 2018

#dicadesérie Luis Miguel


Me julguem, me chamem de cafona… mas sou apaixonadaaaa por Luis Miguel, desde criança. No final de abril, a Netflix lançou uma série baseada em fatos reais e autorizada pelo cantor. O sucesso foi absoluto, imediato e mundial.
“Coincidentemente”, Luis Miguel estava voltando aos palcos com uma turnê internacional, que teve início logo após a estréia da série e já passou pelo México, Estados Unidos e Europa.
A vida do cantor que sempre foi super reservada, cheia de mistérios e dramas familiares e pessoais, está completamente exposta no novo programa, matando a curiosidade dos antigos fãs e atraindo novos.
leia mais

Por Cuca
29 junho, 2016

Calma é um superpoder!

calma é um superpoder

Eu nunca fui uma pessoa calma.
Sou hiperativa e consequentemente super agitada. Nunca tive muita paciência com nada e por aí vai.
Mas desde que minha filha nasceu, parece que baixou o espírito do Buddah em mim.
As pessoas se assustam com a minha mudança, eu mesma me assusto… porque sou o ser mais calmo do mundo com a minha filha e todas as situações que a envolvem.
Passei por engasgos, choros de horas por causa de cólica, febre e dores de vacina, chororo no carro, no berço ou no trocador e tudo isso partiu meu coração de acordo com a devida intensidade, assim como parte o da maior parte das mães. Abracei, acalmei, fiz carinho, passei horas com ela no colo, fiquei noites em claro…mas nunca chorei junto!
Eu ficava firme, afinal eu tinha que manter a calma para acalmar minha filha.
Eu era controlada, evoluída espiritualmente, uma mãe de dar inveja a quem tem 5 filhos.
Até hoje! Hoje desabei! leia mais